segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

7ª Semana Comum - Segunda-feira 20/02/2017

Evangelho (Mc 9,14-29)
O Senhor esteja convosco.
Ele está no meio de nós.
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.
Glória a vós, Senhor.
Naquele tempo, 14descendo Jesus do monte com Pedro, Tiago e João e chegando perto dos outros discípulos, viram que estavam rodeados por uma grande multidão. Alguns mestres da Lei estavam discutindo com eles.
15Logo que a multidão viu Jesus, ficou surpresa e correu para saudá-lo. 16Jesus perguntou aos discípulos: “Que discutis com eles?” 17Alguém na multidão respondeu: “Mestre, eu trouxe a ti meu filho que tem um espírito mudo. 18Cada vez que o espírito o ataca, joga-o no chão e ele começa a espumar, range os dentes e fica completamente rijo. Eu pedi aos teus discípulos para expulsarem o espírito, mas eles não conseguiram”.
19Jesus disse: Ó geração incrédula! Até quando estarei convosco? Até quando terei de suportar-vos? Trazei aqui o menino”. 20E levaram-lhe o menino. Quando o espírito viu Jesus, sacudiu violentamente o menino, que caiu no chão e começou a rolar e a espumar pela boca.
21Jesus perguntou ao pai: “Desde quando ele está assim?” O pai respondeu: “Desde criança. 22E muitas vezes, o espírito já o lançou no fogo e na água para matá-lo. Se podes fazer alguma coisa, tem piedade de nós e ajuda-nos”.
23Jesus disse: “Se podes!... Tudo é possível para quem tem fé”. 24O pai do menino disse em alta voz: “Eu tenho fé, mas ajuda a minha falta de fé”. 25Jesus viu que a multidão acorria para junto dele. Então ordenou ao espírito impuro: “Espírito mudo e surdo, eu te ordeno que saias do menino e nunca mais entres nele”.
26O espírito sacudiu o menino com violência, deu um grito e saiu. O menino ficou como morto, e por isso todos diziam: “Ele morreu!” 27Mas Jesus pegou a mão do menino, levantou-o e o menino ficou de pé.
28Depois que Jesus entrou em casa, os discípulos lhe perguntaram a sós: “Por que nós não conseguimos expulsar o espírito?” 29Jesus respondeu: “Essa espécie de demônios não pode ser expulsa de nenhum modo, a não ser pela oração”.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Missa de posse de Padre Milton na Paróquia de Upanema-RN

7º Domingo do Tempo Comum - 19/02/2017

Anúncio do Evangelho (Mt 5,38-48)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 38“Vós ouvistes o que foi dito: ‘Olho por olho e dente por dente!’ 39Eu, porém, vos digo: Não enfrenteis quem é malvado! Pelo contrário, se alguém te dá um tapa na face direita, oferece-lhe também a esquerda!
40Se alguém quiser abrir um processo para tomar a tua túnica, dá-lhe também o manto!
41Se alguém te forçar a andar um quilômetro, caminha dois com ele!
42Dá a quem te pedir e não vires as costas a quem te pede emprestado.
43Vós ouvistes o que foi dito: ‘Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo!’
44Eu, porém, vos digo: Amai os vossos inimigos e rezai por aqueles que vos perseguem! 45Assim, vos tornareis filhos do vosso Pai que está nos céus, porque ele faz nascer o sol sobre maus e bons, e faz cair a chuva sobre justos e injustos.
46Porque, se amais somente aqueles que vos amam, que recompensa tereis? Os cobradores de impostos não fazem a mesma coisa?
47E se saudais somente os vossos irmãos, o que fazeis de extraordinário? Os pagãos não fazem a mesma coisa? 48Portanto, sede perfeitos como o vosso Pai celeste é perfeito!”

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Missa de posse do novo padre


"Bendito aquele quem vem em nome do senhor! (Mt 21, 9)

É com muita alegria que a nossa comunidade paroquial recebe hoje o seu mais novo pastor, padre José Milton.

Louvamos a Deus pelo trabalho desenvolvido por padre Francinaldo e rogamos para que nosso novo paróco nos conduza no caminho da Fé!

Logo mais às 19h Missa celebrada pelo bispo Diocesano Dom Marizano Manzana na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Imaculada Conceição.

Missa de despedida e agradecimento ao Padre Francinaldo

6ª Semana Comum - Sábado 18/02/2017

Evangelho (Mc 9,2-13)
O Senhor esteja convosco.
Ele está no meio de nós.
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.
Glória a vós, Senhor.
Naquele tempo, 2Jesus tomou consigo Pedro, Tiago e João, e os levou sozinhos a um lugar à parte sobre uma alta montanha. E transfigurou-se diante deles. 3Suas roupas ficaram brilhantes e tão brancas como nenhuma lavadeira sobre a terra poderia alvejar. 4Apareceram-lhe Elias e Moisés, e estavam conversando com Jesus. 5Então Pedro tomou a palavra e disse a Jesus: “Mestre, é bom ficarmos aqui. Vamos fazer três tendas: uma para ti, outra para Moisés e outra para Elias”. 6Pedro não sabia o que dizer, pois estavam todos com muito medo. 7Então desceu uma nuvem e os encobriu com sua sombra. E da nuvem saiu uma voz: “Este é o meu Filho amado. Escutai o que ele diz!” 8E, de repente, olhando em volta, não viram mais ninguém, a não ser somente Jesus com eles. 9Ao descerem da montanha, Jesus ordenou que não contassem a ninguém o que tinham visto, até que o Filho do Homem tivesse ressuscitado dos mortos. 10Eles observavam esta ordem, mas comentavam entre si o que queria dizer “ressuscitar dos mortos”. 11Os três discípulos perguntaram a Jesus: “Por que os mestres da Lei dizem que antes deve vir Elias?” 12Jesus respondeu: “De fato, antes vem Elias, para pôr tudo em ordem. Mas, como dizem as Escrituras, que o Filho do Homem deve sofrer muito e ser rejeitado? 13Eu, porém, vos digo: Elias já veio, e fizeram com ele tudo o que quiseram, exatamente como as Escrituras falaram a respeito dele”.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

PADRE FRANCINALDO SE DESPEDE DE UPANEMA HOJE

::religião
       Em uma celebração na noite de hoje a comunidade católica de Upanema irá se despedir do Padre Francinaldo Macário. 

       Após 6 anos como pároco de nossa cidade, Padre Francinaldo assumirá agora a Paróquia de Serra do Mel.

        Sem dúvidas esse homem de Deus contribui enormemente para a evangelização do povo de nossa cidade. 

       Temos a convicção de que Padre Francinaldo deixará muita saudade, não apenas nos católicos, mas em toda a população que ele tanto soube cativar. 

       Certamente a celebração de hoje será repleta de homenagens e muita emoção e nosso blog estará acompanhando tudo ao vivo e repassando aqui aos nossos leitores. 

       Ao Padre Francinaldo, um amigo exemplar, enviamos nossos agradecimentos pelos seus ensinamentos e votos de boa sorte em sua nova paróquia. 

 
Fonte: Blog Upanema News 

Sexta-feira 17/02/2017

Evangelho (Mc 8,34–9,1)
O Senhor esteja convosco.
Ele está no meio de nós.
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.
Glória a vós, Senhor.
Naquele tempo, 34chamou Jesus a multidão com seus discípulos e disse: “Se alguém me quer seguir, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e me siga. 35Pois quem quiser salvar a sua vida vai perdê-la; mas quem perder a sua vida por causa de mim e do Evangelho vai salvá-la.
36Com efeito, de que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro se perde a própria vida? 37E o que poderia o homem dar em troca da própria vida? 38Se alguém se envergonhar de mim e das minhas palavras diante dessa geração adúltera e pecadora, também o Filho do Homem se envergonhará dele, quando vier na glória do seu Pai com seus santos anjos”. 9,1Disse-lhes Jesus: “Em verdade vos digo, alguns dos que aqui estão não morrerão sem antes terem visto o Reino de Deus chegar com poder”.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Esporte difunde cultura do encontro e solidariedade, diz Papa


Francisco é aplaudido por membros do grupo de treinamento / Foto: L'Osservatore Romano
Francisco é aplaudido por membros do grupo de treinamento / Foto: L’Osservatore Romano


Santo Padre destacou dom do esporte em audiência com programa de treinamento esportivo para pessoas com deficiências mentais

Da Redação, com Rádio Vaticano
O Papa Francisco recebeu em audiência nesta quinta-feira, 16, uma delegação do Programa Olímpico Internacional Especial, de treinamento esportivo e competições atléticas para jovens e adultos com deficiências mentais. Hoje, mais de 170 países são afiliados ao Programa.

Em breve discurso, o Pontífice mencionou o lema dos atletas que aderem ao Programa: “Que eu possa vencer, mas se não conseguir, que possa tentar com todas as minhas forças”. Inspirado por estas palavras, Francisco enalteceu o esforço de preparação destes atletas, que requer fadigas e sacrifícios, mas faz crescer na paciência e na perseverança, gerando força e coragem para adquirir capacidades.
“Na base de qualquer atividade esportiva, está a alegria: de se movimentar e de estar juntos; a alegria pela vida e os dons que o Criador nos oferece, todo dia. Podemos aprender de vocês a nos alegrar pelas pequenas e simples coisas”, disse o Papa.

A mensagem que o Programa passa é a de um ‘mundo sem exclusões’, encorajou Francisco, pois ‘o esporte difunde a cultura do encontro e da solidariedade, mostrando um mundo no qual todo obstáculo e barreira podem ser superados.

“Vocês são um sinal de esperança para aqueles que querem uma sociedade mais inclusiva. Toda vida é preciosa, toda pessoa é um dom e a inclusão enriquece as comunidades”, concluiu.

A próxima competição internacional neste âmbito serão os Jogos Invernais de Stiria, na Áustria, em março. Assim, estava presente na audiência também o bispo de Graz-Seckau, Dom Wilhelm Krautwaschl.

Fonte: Canção Nova

Paróquia de São Manoel em Mossoró-RN recebe Nossa Senhora Aparecida

Em homilia, Papa enfatiza drama da guerra e pede paz


papa_homilia

Em Missa no Vaticano, Francisco falou da triste realidade da guerra e reiterou papel de todos na promoção da paz

Da Redação, com Rádio Vaticano

A guerra começa no coração do homem, por isso todos são responsáveis pela proteção da paz, destacou o Papa Francisco na Missa desta quinta-feira, 16, na Casa Santa Marta. O Pontífice deu ênfase ao sofrimento de tantos povos castigados pelas guerras promovidas por poderosos e traficantes de armas.
Francisco comentou, em especial, três imagens presentes na Primeira Leitura, extraída do Livro do Gênesis: a pomba, o arco-íris e a aliança. “A aliança que Deus faz é forte, mas como nós a recebemos e a aceitamos é com fraqueza. Deus faz a paz conosco, mas não é fácil preservá-la. É um trabalho de todos os dias, porque dentro de nós ainda existe aquela semente, aquele pecado original, o espírito de Caim que por inveja, ciúme, cobiça e desejo de dominação faz a guerra”.

O Santo Padre observou que, falando da aliança entre Deus e os homens, se faz referência ao “sangue derramado”, algo pelo qual o homem terá que prestar contas a Deus. “Hoje no mundo há derramamento de sangue. Hoje o mundo está em guerra. Muitos irmãos e irmãs morrem, inclusive inocentes, porque os grandes e os poderosos querem um pedaço a mais de terra, querem um pouco mais de poder ou querem ter um pouco mais de lucro com o tráfico de armas. E a Palavra do Senhor é clara: ‘pedirei contas do vosso sangue, que é vida, a qualquer animal. E ao homem pedirei contas da vida do homem, seu irmão’. Também a nós, que parecemos estar em paz aqui, o Senhor pedirá contas do sangue dos nossos irmãos e irmãs que sofrem a guerra”.

Proteger a paz

“Como proteger a pomba? Pergunta-se Francisco; “O que faço para que o arco-íris seja sempre um guia? O que faço para que não seja mais derramado sangue no mundo?”, questionou o Papa, enfatizando que todos estão envolvidos no processo de paz. Ele observou, por exemplo, que a guerra começa no coração do homem, começa nas casas, nas famílias, entre amigos, e depois vai além, a todo o mundo.

“A guerra começa aqui e termina lá. Vemos as notícias nos jornais e na TV… Hoje, muita gente morre e a semente de guerra que gera inveja, provoca ciúmes, a cobiça no meu coração é a mesma coisa do que a bomba que cai num hospital, numa escola, matando crianças- é o mesmo. A declaração de guerra começa aqui, em cada um de nós. Por isso, pergunto: “Como custodiar a paz em meu coração, em meu íntimo, na minha família?”. Custodiar a paz, mas não só: fazê-la com as mãos, todos os dias. E assim conseguiremos fazê-la no mundo inteiro”.

Na conclusão da homilia, Francisco apresentou uma recordação de infância, dizendo como soube da notícia do fim da guerra. “Recordo quando começou a tocar o alarme dos Bombeiros, depois nos jornais e na cidade… Isto se fazia para atrair a atenção para ou fato ou uma tragédia, ou outra coisa. E logo ouvi a vizinha de casa chamar minha mãe: ‘Senhora Regina, venha, venha!’ E minha mãe saiu, assustada: ‘O que aconteceu?’ E a mulher, do outro lado do jardim, disse: ‘A guerra acabou!’, chorando.

Francisco recordou o abraço das duas mulheres, o pranto e a alegria porque a guerra havia terminado. “Que o Senhor nos dê a graça de poder dizer: ‘Terminou a guerra’ e chorando. ‘Acabou a guerra no meu coração, acabou a guerra na minha família, acabou a guerra no meu bairro, acabou a guerra no meu trabalho, acabou a guerra no mundo’. Assim serão mais fortes a pomba, o arco-íris e a aliança”.

Fonte: Canção Nova

6ª Semana Comum - Quinta-feira 16/02/2017

Evangelho (Mc 8,27-33)
O Senhor esteja convosco.
Ele está no meio de nós.
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.
Glória a vós, Senhor.
Naquele tempo, 27Jesus partiu com seus discípulos para os povoados de Cesareia de Filipe. No caminho perguntou aos discípulos: “Quem dizem os homens que eu sou?”
28Eles responderam: “Alguns dizem que tu és João Batista; outros que és Elias; outros, ainda, que és um dos profetas”. 29Então ele perguntou: “E vós, quem dizeis que eu sou?” Pedro respondeu: “Tu és o Messias”.
30Jesus proibiu-lhes severamente de falar a alguém a seu respeito. 31Em seguida, começou a ensiná-los, dizendo que o Filho do Homem devia sofrer muito, ser rejeitado pelos anciãos, pelos sumos sacerdotes e doutores da Lei, devia ser morto, e ressuscitar depois de três dias. 32Ele dizia isso abertamente.
Então Pedro tomou Jesus à parte e começou a repreendê-lo. 33Jesus voltou-se, olhou para os discípulos e repreendeu a Pedro, dizendo: “Vai para longe de mim, Satanás!” Tu não pensas como Deus, e sim como os homens”.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Romaria Nacional da Juventude 2017 à Aparecida

Participe da Romaria Nacional da Juventude 2017
Participe da Romaria Nacional da Juventude 2017

Jovens de todo o Brasil caminham para serem acolhidos dias 29 e 30 de abril pela Mãe Aparecida. A Romaria Nacional da Juventude 2017 terá como tema: “Maria e a Doutrina Social da Igreja”.


Com ampla programação, a Romaria promete ser uma experiência transformadora na vida dos jovens de todo o Brasil.

As inscrições estarão abertas a partir do dia 17 de fevereiro no site dos Jovens Conectados, o www.jovensconectados.org.br.

A programação da Romaria da Juventude 2017 contará com tendas de formação das expressões juvenis (Movimentos, Novas Comunidades, Congregações, PJs) além de uma “Tenda Especial”, que será comemorativa dos 10 Anos do Documento 85, 10 Anos do Documento de Aparecida, 10 Anos dos Lectionautas e contará com o recém lançado “DOCAT”.

Nas tendas, os jovens terão oportunidade de participar de catequeses com os Bispos e de momentos de animação, terço, apresentações teatrais, música, dança e outras atividades.

Haverá ainda shows com artistas católicos, vigília e encerramento com Santa Missa de envio.

Confira a programação:

Dia 29 de abril
08h00 às 17h00 – Tendas de formação das expressões juvenis
20h30 – Show com artistas católicos
22h00 às 23h30 – Vigília

Dia 30 de abril
06h30 – Concentração dos jovens no Palco Central
07h00 – Romaria (em torno do Santuário)
08h30 – Santa Missa de envio

Após a Santa Missa de envio será realizado um encontro, das 10h00 às 13h00, de jovens de grupos paroquiais. O encontro será aberto para todos os grupos paroquiais, mas haverá inscrição no site dos jovens conectados.

Fonte: Jovens Conectados

A esperança cristã não exclui ninguém, diz Papa na catequese


Papa na catequese desta quarta-feira, 14 / Foto: Reprodução CTV
Papa durante catequese na Sala Paulo VI / Foto: Reprodução CTV


Santo Padre frisou que a esperança cristã não decepciona e tem como fundamento o amor de Deus pela humanidade

Da Redação, com Rádio Vaticano
O Papa Francisco deu continuidade nesta quarta-feira, 15, ao ciclo de catequeses sobre a esperança cristã. O Santo Padre explicou que a consciência do amor de Deus pela humanidade é a raiz da esperança cristã, que nunca desilude nem exclui ou marginaliza ninguém.

A reflexão de hoje foi baseada na Carta de São Paulo aos Romanos, que surpreende com o convite a vangloriar-se, tendo em vista que se aprende desde cedo que gabar-se não é uma atitude boa. “Mas, do que é justo nos vangloriar? Como é possível fazer isso sem ofender, sem excluir ninguém?”, perguntou o Papa.

Segundo Francisco, no primeiro caso, o homem é convidado a se vangloriar da abundância da graça de Deus que se recebe de Jesus Cristo. “Paulo quer nos fazer entender que, se aprendemos a ver os acontecimentos à luz do Espírito Santo, percebemos que tudo é graça! Se prestarmos atenção, quem age na história, assim como em nossa vida, não somos nós sozinhos mas é sobretudo Deus. Ele é o protagonista absoluto que cria todas as coisas como um dom de amor, que tece a trama de seu desígnio de salvação, levado à plenitude em Jesus. Quando acolhemos com gratidão essa manifestação do amor de Deus, experimentamos uma paz que se estende a todas as dimensões de nossa vida: Estamos em paz conosco mesmos, estamos em paz na família, em nossa comunidade, no trabalho e com as pessoas que encontramos a cada dia em nosso caminho”, acrescentou Francisco.

O Santo Padre destacou ainda que a esperança cristã é sólida, não decepciona. O seu fundamento não está no que o homem pode ou não fazer, mas no amor de Deus, o fundamento mais fiel e seguro. “É fácil dizer: Deus nos ama. Todos dizemos isso. Mas pensem um pouco: cada um de nós é capaz de dizer: Estou certo de que Deus me ama? Não é muito fácil dizer isso. É um bom exercício dizer a si mesmo: Deus me ama. Esta é a raiz de nossa segurança, a raiz da esperança”, sublinhou Francisco.
Vangloriar-se do amor de Deus

“O Senhor infundiu abundantemente em nossos corações o Espírito, que é o amor de Deus, como artífice, como garante, para que possa alimentar dentro de nós a fé e manter vida essa esperança. Deus me ama! Mas neste momento difícil? Deus me ama. E eu que fiz coisas feias e más? Deus me ama. Esta certeza ninguém pode nos tirar e devemos repeti-la como uma oração: Deus me ama. Estou certo de que Deus me ama.”

Por fim, Francisco explicou porque o Apóstolo Paulo convida a se vangloriar sempre de tudo isso. “Vanglorio-me do amor de Deus, porque Ele me ama. A esperança que nos foi dada não nos separa dos outros, e muito menos me leva a desacreditá-los ou marginalizá-los. Trata-se de um dom extraordinário do qual somos chamados a ser ‘canais’ para todos, com humildade e simplicidade.

Então, a nossa maior glória será a de ter como Pai um Deus que não tem preferências, que não exclui ninguém, mas que abre a sua casa a todos os seres humanos, começando pelos marginalizados e distantes, para que como seus filhos aprendamos a nos consolar e nos ajudar reciprocamente”.

Fonte: Canção Nova

Celebração de despedida de Padre Francinaldo