sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Programação do 3° dia da Festa de Santo Agostinho no P. A. Bom Lugar I


27/08 - Sábado / Celebração
às 17h00 Tema: ´´A vivência do amor como manifestação da presença de Deus na igreja e no mundo hoje``!
Responsável: Pastoral Familiar


Fotos da segunda da noite da Festa de Santo Agostinho no P. A. Bom Lugar I








Vaticano publica tema do Dia Mundial da Paz 2017

Dia Mundial da Paz é celebrado todos os anos em 1º de janeiro a pedido do Papa Paulo VI

Da redação, com Rádio Vaticano
"A não-violência: estilo de uma política para a Paz” foi o tema escolhido por Francisco para o próximo Dia Mundial da Paz / Foto: L'Osservatore Romano
“A não-violência: estilo de uma política para a Paz” foi o tema escolhido por Francisco para o próximo Dia Mundial da Paz / Foto: L’Osservatore Romano

Foi publicado, nesta sexta-feira, 26, o tema da Mensagem do Papa para o 50° Dia Mundial da Paz, que se celebrará no dia 1° de janeiro de 2017.
“A não-violência: estilo de uma política para a Paz”: eis o tema escolhido por Francisco para o próximo Dia Mundial da Paz, o quarto do seu Pontificado.
A violência e a paz estão à origem de dois modos opostos de construir a sociedade. A difusão dos focos de violência gera experiências sociais gravíssimas e negativas. O Papa resume esta situação na expressão “Terceira guerra mundial em capítulos”.
Ao invés, a paz tem consequências sociais positivas e permite um verdadeiro progresso. Devemos, portanto, agir nos espaços possíveis, negociando caminhos de paz, até mesmo onde tais caminhos parecem tortuosos ou impraticáveis.

Caminho de esperança

Deste modo, a “não violência” pode assumir um significado mais amplo e novo: não apenas aspiração, inspiração, rejeição moral da violência, das barreiras, dos impulsos destruidores, mas também método político realista, aberto à esperança.
Trata-se de um método político fundado na primazia do direito. Se o direito e a igual dignidade de cada ser humano são salvaguardados sem discriminações e distinções. De consequência, a “não violência”, entendida como método político, pode constituir um meio realista para superar os conflitos armados. Nesta perspectiva, é importante reconhecer, sempre mais, não o direito da força, mas a força do direito.
Com esta Mensagem para o Dia Mundial da Paz, o Santo Padre deseja indicar um passo ulterior, um caminho de esperança apropriado às circunstâncias históricas presentes: chegar à solução das controvérsias através das negociações, evitando que elas se degenerem em conflito armado.
Atrás desta perspectiva, há também o respeito pela cultura e a identidade dos povos, portanto, a superação da ideia, segundo a qual, uma parte seja moralmente superior à outra. Mas, ao mesmo tempo, isto não significa que uma nação possa ser indiferente diante das tragédias de outras. Pelo contrário, significa reconhecer a primazia da diplomacia diante dos estrondos das armas.
O tráfico mundial das armas é tão vasto a ponto de ser subestimado. O tráfico ilegal das armas sustenta muitos conflitos no mundo. A “não violência” como estilo político, pode e deve fazer muito mais para superar este flagelo.

Origem

O Dia Mundial da Paz teve início por desejo do Beato Paulo VI e é celebrado todos os anos no dia 1° de janeiro. A Mensagem do Papa é enviada a todas as Chancelarias do mundo e assinala as diretrizes diplomáticas da Santa Sé.

Fonte: Canção Nova

21ª Semana Comum - Sábado 27/08/2016

Evangelho (Mt 25,14-30)
— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos esta parábola: 14“Um homem ia viajar para o estrangeiro. Chamou seus empregados e lhes entregou seus bens. 15A um deu cinco talentos, a outro deu dois e ao terceiro, um; a cada qual de acordo com a sua capacidade. Em seguida viajou. 16O empregado que havia recebido cinco talentos saiu logo, trabalhou com eles, e lucrou outros cinco.
17Do mesmo modo, o que havia recebido dois lucrou outros dois. 18Mas aquele que havia recebido um só saiu, cavou um buraco na terra, e escondeu o dinheiro do seu patrão. 19Depois de muito tempo, o patrão voltou e foi acertar contas com os empregados. 20O empregado que havia recebido cinco talentos entregou-lhe mais cinco, dizendo: ‘Senhor, tu me entregaste cinco talentos. Aqui estão mais cinco que lucrei’.21O patrão lhe disse: ‘Muito bem, servo bom e fiel! Como foste fiel na administração de tão pouco, eu te confiarei muito mais. Vem participar da minha alegria!’ 22Chegou também o que havia recebido dois talentos, e disse: ‘Senhor, tu me entregaste dois talentos. Aqui estão mais dois que lucrei’. 23O patrão lhe disse: ‘Muito bem, servo bom e fiel! Como foste fiel na administração de tão pouco, eu te confiarei muito mais. Vem participar da minha alegria!’
24Por fim, chegou aquele que havia recebido um talento, e disse: ‘Senhor, sei que és um homem severo, pois colhes onde não plantaste e ceifas onde não semeaste. 25Por isso fiquei com medo e escondi o teu talento no chão. Aqui tens o que te pertence’. 26O patrão lhe respondeu: ‘Servo mau e preguiçoso! Tu sabias que eu colho onde não plantei e que ceifo onde não semeei? 27Então devias ter depositado meu dinheiro no banco, para que, ao voltar, eu recebesse com juros o que me pertence’.
28Em seguida, o patrão ordenou: ‘Tirai dele o talento e dai-o àquele que tem dez! 29Porque a todo aquele que tem será dado mais, e terá em abundância, mas daquele que não tem, até o que tem lhe será tirado. 30Quanto a este servo inútil, jogai-o lá fora, na escuridão. Ali haverá choro e ranger de dentes!’”

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

Fotos da abertura da Festa de Santo Agostinho na Comunidade de Bom Lugar I






Fotos: Comunidade de Bom Lugar I

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Programação da Festa de Santo Agostinho na Comunidade de Bom Lugar I


PROGRAMAÇÃO RELIGIOSA

Dia 25/08 - Quinta-Feira / Abertura da Festa
às 19hs Tema: Na ´´plenitude do tempo``: Jesus Cristo é o rosto da misericórdia do pai!
Responsável: Comunidade de Pereiros

Dia 26/08 - Sexta-Feira / Celebração
às 19h00 Tema: ´´O Espírito Santo conduz a igreja no testemunho fiel da Misericórdia Divina``!
Responsável: Comunidade de Upanema/RN

27/08 - Sábado / Celebração
às 17h00 Tema: ´´A vivência do amor como manifestação da presença de Deus na igreja e no mundo hoje``!
Responsável: Pastoral Familiar

Dia 28/08 - Domingo / Missa de Encerramento.
Responsável: Padre Francinaldo Macário às 16h00

21ª Semana Comum - Sexta-feira 26/08/2016

Evangelho (Mt 25,1-13)
— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo +segundo Mateus.
Glória a vós, Senhor.
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos esta parábola: 1“O Reino dos Céus é como a história das dez jovens que pegaram suas lâmpadas de óleo e saíram ao encontro do noivo. 2Cinco delas eram imprevidentes, e as outras cinco eram previdentes.
3As imprevidentes pegaram as suas lâmpadas, mas não levaram óleo consigo. 4As previdentes, porém, levaram vasilhas com óleo junto com as lâmpadas. 5O noivo estava demorando e todas elas acabaram cochilando e dormindo. 6No meio da noite, ouviu-se um grito: ‘O noivo está chegando. Ide a seu encontro!’ 7Então as dez jovens se levantaram e prepararam as lâmpadas. 8As imprevidentes disseram às previdentes: ‘Dai-nos um pouco de óleo, porque nossas lâmpadas estão se apagando’.
9As previdentes responderam: ‘De modo nenhum, porque o óleo pode ser insuficiente para nós e para vós. É melhor irdes comprar aos vendedores’. 10Enquanto elas foram comprar óleo, o noivo chegou, e as que estavam preparadas entraram com ele para a festa de casamento. E a porta se fechou. 11Por fim, chegaram também as outras jovens e disseram: ‘Senhor! Senhor! Abre-nos a porta!’ 12Ele, porém, respondeu: ‘Em verdade eu vos digo: Não vos conheço!’ 13Portanto, ficai vigiando, pois não sabeis qual será o dia, nem a hora”.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

Vem aí a Festa de Santo Agostinho na Comunidade de Bom Lugar I


Terremoto na Itália: Papa adia catequese e reza pelas vítimas

Papa deixou para a próxima semana a catequese que seria hoje e convidou os fiéis a rezarem o terço pelas vítimas

Da Redação, com Rádio Vaticano
No lugar da catequese, Papa reza por vítimas do terremoto que atingiu a Itália e matou pelo menos 38 pessoas / Foto: Reprodução CTV
No lugar da catequese, Papa reza por vítimas do terremoto que atingiu a Itália e matou pelo menos 38 pessoas / Foto: Reprodução CTV

Por ocasião do terremoto ocorrido na Itália, na madrugada desta quarta-feira, 24, o Papa Francisco adiou a tradicional catequese preparada para hoje e, no lugar da reflexão, convidou os fiéis, na Praça de São Pedro, a rezar com ele parte do Santo Rosário – os mistérios dolorosos – pelas vítimas.
“Havia preparado a catequese de hoje, como todas as quartas-feiras deste Ano da Misericórdia, sobre o tema da ‘proximidade de Jesus’. Mas, diante da notícia do terremoto que atingiu o centro da Itália, devastando inteiras regiões e causando mortos e feridos, não posso deixar de expressar a minha grande dor e a minha proximidade a todas as pessoas presentes nos lugares atingidos”.
O terremoto foi na região central da Itália – o epicentro foi na cidade de Amatrice – e deixou pelo menos 38 mortos. Além das vítimas, o Papa pensou na dor das pessoas que perderam seus entes queridos e os que ainda estão abalados pelo medo e pelo terror.
O Papa também se manifestou sobre o terremoto, em sua conta no Twitter, em italiano: “Exprimo a minha grande dor e a minha proximidade a todas as pessoas presentes nos lugares atingidos pelo terremoto”.
O Pontífice ficou comovido com as palavras do prefeito de Amatrice: “Amatrice não existe mais”, ao saber que entre os mortos havia tantas crianças. Francisco assegurou a todas as pessoas de Amatrice e região – diocese de Rieti, de Ascoli Piceno e em todas as outras no Lácio, na Úmbria e nas Marcas – as suas preces e o carinho de toda a Igreja.
Não faltou uma palavra de agradecimento do Santo Padre a todos os voluntários e os agentes da Defesa Civil, que estão socorrendo as populações atingidas. “Peço-lhes que se unam a mim, na oração, para que o Senhor Jesus, que sempre se comoveu diante da dor humana, console esses corações entristecidos e lhes dê a paz, por intercessão da Bem-aventurada Virgem Maria”.

Saudação aos fiéis

Concluído o momento de oração, o Papa cumprimentou os presentes na Praça de São Pedro em diversas línguas. Em português, disse: “Saúdo os peregrinos de língua portuguesa do Brasil e de Portugal. Jesus os convida a levar aos outros a alegria do Evangelho, que nos ensina que ‘homens e mulheres partilham da mesma dignidade’, porque todos somos a mesma coisa em Cristo. Que Deus os abençoe”.
Em italiano, o Papa recordou que, nessas últimas semanas, os observadores internacionais expressaram preocupação pela degeneração da situação na Ucrânia oriental, pela qual fez um novo apelo. “Hoje, enquanto aquela querida nação celebra a sua festa nacional, que coincide com o 25° aniversário da Independência, asseguro as minhas orações”. E concedeu a todos a bênção apostólica.

Fonte: Canção Nova

21ª Semana Comum - Quinta-feira 25/08/2016

Evangelho (Mt 24,42-51)
— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.
Naquele tempo disse Jesus aos seus discípulos: 42“Ficai atentos, porque não sabeis em que dia virá o Senhor! 43Compreendei bem isso: se o dono da casa soubesse a que horas viria o ladrão, certamente vigiaria e não deixaria que a sua casa fosse arrombada.
44Por isso, também vós ficai preparados! Porque na hora em que menos pensais, o Filho do Homem virá. 45Qual é o empregado fiel e prudente, que o senhor colocou como responsável pelos demais empregados, para lhes dar alimento na hora certa? 46Feliz o empregado, cujo senhor o encontrar agindo assim, quando voltar.
47Em verdade vos digo, ele lhe confiará a administração de todos os seus bens. 48Mas, se o empregado mau pensar: ‘Meu senhor está demorando’, 49e começar a bater nos companheiros, a comer e a beber com os bêbados; 50então o senhor desse empregado virá no dia em que ele não espera, e na hora que ele não sabe. 51Ele o partirá ao meio e lhe imporá a sorte dos hipócritas. Ali haverá choro e ranger de dentes”.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

ENCONTRO DE JUVENTUDE REALIZADO NESTA TERÇA (23/08)


Aiatolá do Irã elogia palavras do Papa sobre Islã e terrorismo


O Grande Aiatolá do Irã, Naser Makarem Shirazi / Foto: Rádio Vaticano
O Grande Aiatolá do Irã, Naser Makarem Shirazi / Foto: Rádio Vaticano


Líder religioso do Irã escreveu uma carta ao Papa Francisco agradecendo sua postura de defender a desassociação do Islã com a violência

Da Redação, com Rádio Vaticano
O grande Aiatolá do Irã, Naser Makarem Shirazi, enviou uma carta ao Papa Francisco agradecendo as declarações em que o Pontífice critica qualquer identificação entre Islã e terrorismo. A informação foi divulgada pela Rádio Vaticano nesta terça-feira, 23.

“As suas sábias e lógicas considerações sobre o Islã que desassociam a religião das ações desumanas e das atrocidades perpetradas por seitas ímpias (takfir) como o Daesh são realmente admiráveis”, escreveu o líder religioso na carta endereçada ao Papa.

No documento, cuja tradução em inglês foi publicada em seu site oficial, o Aiatolá sublinha a importância dos líderes religiosos mundiais se posicionarem de forma clara e firme contra a violência e as barbáries, “sobretudo quando estes atos são realizados em nome da religião”.

Shirazi condenou ainda o assassinato do padre Jacques Hamel, morto no dia 26 de julho enquanto celebrava a Eucaristia na paróquia de Saint-Étienne-du-Rouvray, na França.

O líder iraniano recordou que a mesma condenação foi reiterada pela comunidade dos estudiosos muçulmanos e pela grande maioria dos fiéis islâmicos.

As seitas ímpias como o Daesh – concluiu o Aiatolá– representam “a pior crise da era moderna” e não fazem parte do Islã.

A carta de Shirazi ao Papa se refere de modo especial às declarações dada por Francisco no retorno a Roma após a viagem à Polônia para a Jornada Mundial da Juventude em julho de 2016. Na ocasião, o Papa disse que não é justo nem verdadeiro associar o Islã à violência.

“Eu não gosto de falar de violência islâmica, porque todos os dias quando leio os jornais vejo violências aqui na Itália: quem mata a namorada, outro que mata a sogra… E estas pessoas são violentos católicos batizados, eh! São católicos violentos… Se eu falasse de violência islâmica, deveria falar também de violência católica”.

Francisco observou que nem todos os islâmicos são violentos, assim como nem todos os católicos são violentos. O que acontece, segundo Francisco, é que sempre há um pequeno grupo fundamentalista dentro das religiões, inclusive na católica. “Creio que não seja justo identificar o Islã com a violência. Isto não é justo e não é verdadeiro!”.

FONTE: CANÇÃO NOVA

SANTO DO DIA - São Bartolomeu, modelo que conduz ao Senhor

São Bartolomeu

São Bartolomeu é modelo para quem quer se deixar conduzir pelo Senhor

Neste dia, festejamos a santidade de vida de São Bartolomeu, apóstolo de Nosso Senhor Jesus Cristo, que na Bíblia é citado com o nome de Natanael (que significa dom de Deus). Os três Evangelhos sinópticos chamam-lhe sempre Bartolomeu ou Bar-Talmay (filho de Talmay em aramaico). Nasceu em Caná da Galiléia, naquela pequena aldeia onde Jesus transformou a água em vinho.
Bartolomeu é modelo para quem quer se deixar conduzir pelo Senhor, pois, assim encontramos no Evangelho de São João: “Filipe vai ter com Natanael e lhe diz: ‘É Jesus, o filho de José de Nazaré'”. Depois de externar sua sinceridade e aproximar-se do Cristo, Bartolomeu ouviu dos lábios do Mestre a sua principal característica: “Eis um verdadeiro israelita no qual não há fingimento” (Jo 1,47).

Pertencente ao número dos doze, São Bartolomeu conviveu com Jesus no tempo da vida pública e pôde contemplar no dia-a-dia o conteúdo de sua própria profissão de fé: “Rabi, tu és o Filho de Deus, tu és o rei de Israel”. Depois da Paixão, glorificação do Verbo e grande derramamento do Espírito Santo em Pentecostes, conta-nos a Tradição que o apóstolo Bartolomeu teria evangelizado na Índia, passado para a Armênia e, neste local conseguido a conversão do rei Polímio, da esposa e de muitas outras pessoas, isto até deparar-se com invejosos sacerdotes pagãos, os quais martirizaram o santo apóstolo, após o arrancarem a pele, mas não o Céu, pois perseverou até o fim.

São Bartolomeu, rogai por nós!

21ª Semana Comum - Quarta-feira 24/08/2016

Evangelho (Jo 1,45-51)
— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.
45Filipe encontrou-se com Natanael e lhe disse: “Encontramos aquele de quem Moisés escreveu na Lei, e também os profetas: Jesus de Nazaré, o filho de José”.
46Natanael disse: “De Nazaré pode sair coisa boa?” Filipe respondeu: “Vem ver!” 47Jesus viu Natanael que vinha para ele e comentou: “Aí vem um israelita de verdade, um homem sem falsidade”. 48Natanael perguntou: “De onde me conheces?” Jesus respondeu: “Antes que Filipe te chamasse, enquanto estavas debaixo da figueira, eu te vi”. 49Natanael respondeu: “Rabi, tu és o Filho de Deus, tu és o Rei de Israel”.
50Jesus disse: “Tu crês porque te disse: Eu te vi debaixo da figueira? Coisas maiores que esta verás!” 51E Jesus continuou: “Em verdade, em verdade eu vos digo: Vereis o céu aberto e os anjos de Deus subindo e descendo sobre o Filho do Homem”.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Designer explica logotipo oficial da canonização de Madre Teresa

Logotipo foi aprovado pela superiora das missionárias da caridade e será utilizado internacionalmente

Da redação, com L’Osservatore Romano
Logotipo oficial da canonização de Madre Teresa de Calcutá
Logotipo oficial da canonização de Madre Teresa de Calcutá

O logotipo oficial da canonização de Madre Teresa de Calcutá, marcada para o dia 4 de setembro, foi elaborado por uma católica que mora na periferia de Mumbai, Índia.

A pedido da arquidiocese de Calcutá, Karen Vaswani nee D’Lima trabalhou durante três dias na elaboração do logotipo que será utilizado nas celebrações que acontecem entre os dias 1 e 8 de setembro.

Karen trabalha há mais de 20 anos como designer, é casada e tem uma filha adolescente de nome Kimaya, que em sânscrito significa “divina”.

“Eu nunca encontrei Madre Teresa pessoalmente, mas sempre tive grande admiração pelo seu trabalho. Devido à minha experiência profissional, sempre estive envolvida nas obras de caridade”, explicou.

Ela decidiu trabalhar o logotipo sobre uma “pose clássica de madre Teresa”, representada enquanto carrega com ternura uma criança nos braços. “Um trabalho realizado com um estilo muito simples de gráfica e só a duas cores, de modo a facilitar a sua utilização a todos os níveis”, esclarece a designer.
O tema indicado pelo Vaticano para a realização do logotipo foi “portadores do amor terno e misericordioso de Deus”. Com base neste tema, Karen criou uma imagem clássica de Madre Teresa que, “com amor segura um menino nos braços”. Trata-se de um estilo gráfico bem simples e em duas cores, para facilitar o uso pela mídia mundial.

Segundo ela, o tema indicado pelo Vaticano para a realização do logo foi “portadores do amor terno e misericordioso de Deus”.

O trabalho foi aprovado pela superiora-geral das missionárias da caridade, Ir. Mary Prema, e pelo postulador da causa de canonização de Madre Teresa, padre Brian Kolodiejchuk, que decidiram adotá-lo também para a utilização internacional.

A Congregação das Missionárias da Caridade publicou um programa de iniciativas que serão promovidas em Roma por ocasião da canonização entre os dias 1 e 8 de setembro.


Será possível venerar as relíquias de madre Teresa na basílica de São João de Latrão e visitar o seu quarto no convento de São Gregório “al Celio”. Em particular, no dia 5 de setembro, às 10h, o cardeal secretário de Estado, Pietro Parolin, celebrará uma Missa de ação de graças na Praça de São Pedro.

Fonte: Canção Nova