quinta-feira, 23 de março de 2017

Papa alerta sobre risco de fiéis se tornarem "católicos ateus"

Francisco explicou que quando fiéis têm o coração duro e se afastam da Palavra de Deus, tornam-se católicos infiéis ou até mesmo ateus

Da Redação, com Rádio Vaticano
Para esse tempo de Quaresma, Francisco explica o verdadeiro significado do jejum / Foto: Rádio Vaticano
Papa durante celebração eucarística na Casa Santa Marta / Foto: Rádio Vaticano

Na Missa desta quinta-feira, 24, na Casa Santa Marta, o Papa Francisco destacou que ouvir a Palavra de Deus evita o risco de endurecer o coração. Ao contrário, quando as pessoas não escutam a voz de Deus e viram as costas para Ele, acabam se distanciando Dele e se tornando católicos infiéis ou até mesmo “católicos ateus”.

Tomando como base um trecho do Livro do Profeta Jeremias, o Papa desenvolveu a sua meditação sobre a escuta da Palavra de Deus. “Quando não paramos para ouvir a voz do Senhor, nos distanciamos Dele, viramos as costas para Ele. E quando não ouvimos a voz de Deus, ouvimos outras vozes (…) No final – constatou amargamente o Pontífice – fechamos os ouvidos e nos tornamos surdos à Palavra de Deus”.

“Se hoje todos nós pararmos um pouco e olharmos para o nosso coração, veremos quantas vezes fechamos os ouvidos e quantas vezes nos tornamos surdos. Quando um povo, uma comunidade, mas também uma comunidade cristã, uma paróquia, uma diocese, fecha os ouvidos e se torna surda, não ouve a Palavra de Deus, procura outras vozes, outros senhores e acaba seguindo os ídolos, os ídolos que o mundo, a mundanidade, a sociedade lhes oferece. Se distancia do Deus vivo.”

Francisco acrescentou que, ao se distanciar de Deus, o coração se endurece, torna-se fechado em si mesmo. Vive, então, em um mundo que não lhe faz bem, que o distancia cada vez mais de Deus. A consequência disso é que se perde o sentido da fidelidade e, assim, a pessoa se torna um católico ateu.
“O Senhor diz na Primeira Leitura: ‘A fidelidade desapareceu’ e nós nos tornamos católicos infiéis, católicos pagãos ou pior ainda, católicos ateus, porque não temos uma referência de amor ao Deus vivo. Não escutar e virar as costas – que nos endurece o coração – que nos conduz ao caminho da infidelidade”.

“Hoje, podemos todos nos perguntar: Eu paro para ouvir a Palavra de Deus, pego a Bíblia, que fala a mim? Meu coração se endureceu? Eu me afastei do Senhor? Perdi a fidelidade ao Senhor e vivo com os ídolos que a mundanidade me propõe todos os dias? Perdi a alegria da maravilha do primeiro encontro com Jesus? Hoje é um dia para ‘escutar’: ‘Escutem hoje a voz do Senhor’, rezamos antes.
 ‘Não endureçam seu coração’. Peçamos esta graça. A graça de escutar, para que nosso coração não se endureça”.

Fonte: Canção Nova

Mártires do Rio Grande do Norte: Protomártires do Brasil serão canonizados

Beatos André de Soveral, Ambrósio Francisco Ferro, Mateus Moreira e seus 27 companheiros foram beatificados no ano 2000

Da Redação, com Rádio Vaticano
protomartires do brasil
A Igreja no Brasil está em festa: o Papa Francisco aprovou a canonização dos protomártires André de Soveral e Ambrósio Francisco Ferro, sacerdotes diocesanos, e Mateus Moreira e seus vinte e sete companheiros leigos.

Em 1645, no Rio Grande do Norte, eles derramaram seu sangue por amor a Cristo. A aprovação da canonização saiu no decreto da Congregação para a Causa dos Santos que recebeu a aprovação do Papa Francisco. O documento foi divulgado hoje pelo Vaticano.

Conheça mais sobre a história dos novos santos:

Os chamados mártires de Cunhaú e Uruaçu foram beatificados no ano 2000. “Desde então, o processo se intensificou e agora com esta aprovação do Santo Padre temos como certa a canonização”, disse o arcebispo de Natal, Dom Jaime Vieira Rocha.

Dom Jaime diz que a Igreja no Brasil, em especial no Rio Grande do Norte, está em festa com a notícia e deve dar graças a Deus pela canonização desses mártires. “Isto para nós é motivo de alegria; que a intercessão dos nossos mártires pela nossa Igreja no Brasil, pela nossa Arquidiocese e por todo o povo de Deus seja um sinal de esperança, de testemunho, de convicção na vivência da nossa fé.
Eles são um exemplo porque deram a vida, derramaram o sangue, na vivência de sua fé”.

Em 16 de junho de 1645, padre André de Soveral e outros 70 fiéis foram cruelmente mortos por 200 soldados holandeses e índios potiguares. Os fiéis estavam participando da missa dominical, na Capela de Nossa Senhora das Candeias, no Engenho Cunhaú – no município de Canguaretama (RN). Em 03 de outubro de 1645, três meses depois, houve o massacre de Uruaçú. Padre Ambrósio Francisco Ferro foi torturado e o camponês Mateus Moreira, morto. Os invasores calvinistas não admitiam a prática da religião católica.

Os protomártires são os primeiros mártires de uma determinada região. Considerando a Igreja católica em sua totalidade, o protomártir é Santo Estêvão.

Fonte: Canção Nova

3ª Semana da Quaresma - Quinta-feira 23/03/2017

Evangelho (Lc 11,14-23)
— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 14Jesus estava expulsando um demônio que era mudo. Quando o demônio saiu, o mudo começou a falar, e as multidões ficaram admiradas. 15Mas alguns disseram: 'É por Belzebu, o príncipe dos demônios, que ele expulsa os demônios.' 16Outros, para tentar Jesus, pediam-lhe um sinal do céu. 17Mas, conhecendo seus pensamentos, Jesus disse-lhes: 'Todo reino dividido contra si mesmo será destruído; e cairá uma casa por cima da outra. 18Ora, se até Satanás está dividido contra si mesmo, como poderá sobreviver o seu reino?
Vós dizeis que é por Belzebu que eu expulso os demônios. 19Se é por meio de Belzebu que eu expulso demônios, vossos filhos os expulsam por meio de quem? Por isso, eles mesmos serão vossos juízes. 20Mas, se é pelo dedo de Deus que eu expulso os demônios, então chegou para vós o Reino de Deus. 21Quando um homem forte e bem armado guarda a própria casa, seus bens estão seguros. 22Mas, quando chega um homem mais forte do que ele, vence-o, arranca-lhe a armadura na qual ele confiava, e reparte o que roubou. 23Quem não está comigo, está contra mim. E quem não recolhe comigo, dispersa.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

quarta-feira, 22 de março de 2017

Pastoral Familiar será o tema da Trimestral de Pastoral em Mossoró



A Diocese de Mossoró realiza, nos dias 24 e 25, sua primeira Trimestral de  2017 no Centro de Treinamento, em Mossoró. O tema a ser aprofundado pelo  coordenador diocesano da Pastoral Familiar, Frei Wellington, será "Estudos  dos fundamentos da Pastoral Familiar". Importante que além do clero e agentes  de pastorais, integrantes da Pastoral Familiar das paróquias estejam  presentes. A Trimestral começará com a Santa Missa, às 9 horas, presidida pelo  Bispo Diocesano, Dom Mariano Manzana, e concelebrada pelos padres na Capela de Santa Teresinha. A programação de sexta-feira será encerrada com a
 Via-Sacra lembrando a Campanha da Fraternidade 2017.


* A Rádio Rural de  Mossoró estará transmitindo a Santa Missa.
 
Fonte: Blog da Diocese de Mossoró

Papa: confessionário não é lavanderia onde se tira manchas

Papa falou na Missa de hoje sobre o mistério do perdão e frisou necessidade de envergonhar-se dos pecados verdadeiramente

Da Redação, com Rádio Vaticano 
Papa explica aos fiéis dinâmica do ato de perdoar e ser perdoado / Foto: Rádio Vaticano
Papa explica aos fiéis dinâmica do ato de perdoar e ser perdoado / Foto: Rádio Vaticano

“Ser perdoado e perdoar: um mistério difícil de entender. É preciso oração, arrependimento e vergonha”, disse o Papa Francisco na Missa desta terça-feira, 21, na Casa Santa Marta. O Pontífice reiterou a importância de estar consciente da maravilha que Deus realiza com a sua misericórdia e de exercê-la depois com os outros.

O perdão é um mistério difícil de se entender, ressaltou o Santo Padre. O primeiro passo para penetrar neste mistério, a grande obra de misericórdia de Deus, é envergonhar-se dos próprios pecados, uma graça que não se pode obter sozinhos. O povo de Deus, triste e humilhado por suas culpas, é capaz de senti-la, enquanto o protagonista do Evangelho do dia não consegue fazê-lo. É o servo que o patrão perdoa apesar de suas grandes dívidas, mas que por sua vez, é incapaz de perdoar seus devedores. “Ele não entendeu o mistério do perdão”, destacou Francisco, falando da realidade de hoje.

“Se eu pergunto: ‘Vocês são todos pecadores?’ – ‘Sim, padre, todos’ – ‘E para receber o perdão dos pecados?’- ‘Nos confessamos’ – ‘E como você se confessa?’- ‘Vou, digo meus pecados, o padre me perdoa, me dá três Ave Marias para rezar e vou embora em paz’.

“Você não entendeu! Fazendo assim, você foi ao confessionário fazer uma operação bancária ou um processo burocrático. Não foi lá envergonhado pelo que fez. Viu algumas manchas em sua consciência e errou, porque pensou que o confessionário fosse uma lavanderia para limpar as manchas. Você foi incapaz de envergonhar-se por seus pecados”.

Maravilha deve entrar na consciência

O perdão recebido de Deus, a maravilha que fez no coração deve poder entrar na consciência, frisou o Papa, caso contrário, a pessoa sai, encontra um amigo, uma amiga e começa e falar pelas costas de alguém, e continua a pecar. “Eu posso perdoar, somente se me sinto perdoado”.

“Se você não tem consciência de ser perdoado, nunca poderá perdoar, nunca. Sempre existe aquele comportamento de querer acertar as contas com os outros. O perdão é total. Mas somente se pode dar quando eu sinto o meu pecado, me envergonho, tenho vergonha e peço o perdão a Deus e me sinto perdoado pelo Pai e assim posso perdoar. Caso contrário, não se pode perdoar, somos incapazes disto. Por esta razão o perdão é um mistério”.

O servo, o protagonista do Evangelho – diz o Papa – tem a sensação de ter conseguido, ter sido esperto; mas pelo contrário, não entendeu a generosidade do patrão. É aquela que o Papa define como “a hipocrisia de roubar um perdão, um perdão fingido”.

“Peçamos hoje ao Senhor a graça de entender este “setenta vezes sete”. Peçamos a graça da vergonha diante de Deus. É uma grande graça! Envergonhar-se dos próprios pecados e assim receber o perdão e a graça da generosidade de dá-lo aos outros, porque se o Senhor me perdoou tanto, quem sou eu para não perdoar?”.

Fonte: Canção Nova

Papa envia videomensagem a jovens em preparação à JMJ

Francisco gravou um vídeo em que convida jovens a já se prepararem para a edição internacional da JMJ, que será em 2019

Da Redação, com Vaticano 

O Vaticano publicou nesta terça-feira, 21, a videomensagem que o Papa Francisco gravou a jovens do mundo inteiro em preparação à Jornada Mundial da Juventude 2017, que será realizada em âmbito diocesano no Domingo de Ramos, 9 de abril.
 
Já é tradicional uma mensagem do Papa para o evento, mas neste ano, a fim de favorecer sua difusão, Francisco gravou um vídeo, em espanhol, em que ele mesmo fala aos jovens, destacando alguns pontos-chave do texto da mensagem. Ele também convida a juventude a tomar o caminho de preparação espiritual para a edição internacional do evento, que será no Panamá de 22 a 27 de janeiro de 2019. Assista a seguir (em espanhol):

Francisco diz que é muito importante para ele esses encontros com a juventude e desta vez o caminho de preparação para a edição internacional do evento está em harmonia com o próximo Sínodo dos Bispos, que também será dedicado aos jovens.

“Neste caminhar, acompanha-nos Nossa Mãe, a Virgem Maria, e nos anima com sua fé, a mesma fé que ela expressa em seu cântico de louvor”, diz o Papa, lembrando que Maria é o foco dos temas das próximas três edições do evento.

O Santo Padre convida os jovens a cultivar uma relação de familiaridade e amizade com a Virgem Maria. “Falem com ela. 9…) Como boa mãe, ela os escuta, os abraça, os quer, caminha com vocês. Eu asseguro a vocês que se fizerem isso não vão se arrepender”.

Fonte: Canção Nova

3ª Semana da Quaresma - Quarta-feira 22/03/2017

Evangelho (Mt 5,17-19)
— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 17Não penseis que vim abolir a Lei e os Profetas. Não vim para abolir, mas para dar-lhes pleno cumprimento. 18Em verdade, eu vos digo: antes que o céu e a terra deixem de existir, nem uma só letra ou vírgula serão tiradas da Lei, sem que tudo se cumpra.
19Portanto, quem desobedecer a um só destes mandamentos, por menor que seja, e ensinar os outros a fazerem o mesmo, será considerado o menor no Reino dos Céus. Porém, quem os praticar e ensinar será considerado grande no Reino dos Céus.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

terça-feira, 21 de março de 2017

3ª Semana da Quaresma - Terça-feira 21/03/2017

Evangelho (Mt 18,21-35)
— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus
— Glória a vós, Senhor.
Naquele tempo, 21Pedro aproximou-se de Jesus e perguntou: 'Senhor, quantas vezes devo perdoar, se meu irmão pecar contra mim? Até sete vezes?' 22Jesus respondeu: 'Não te digo até sete vezes, mas até setenta vezes sete. 23Porque o Reino dos Céus é como um rei que resolveu acertar as contas com seus empregados. 24Quando começou o acerto, trouxeram-lhe um que lhe devia uma enorme fortuna. 25Como o empregado não tivesse com que pagar, o patrão mandou que fosse vendido como escravo, junto com a mulher e os filhos e tudo o que possuía, para que pagasse a dívida. 26O empregado, porém, caiu aos pés do patrão, e, prostrado, suplicava: 'Dá-me um prazo! e eu te pagarei tudo'. 27Diante disso, o patrão teve compaixão, soltou o empregado e perdoou-lhe a dívida.
28Ao sair dali, aquele empregado encontrou um dos seus companheiros que lhe devia apenas cem moedas. Ele o agarrou e começou a sufocá-lo, dizendo: 'Paga o que me deves'. 29O companheiro, caindo aos seus pés, suplicava: 'Dá-me um prazo! e eu te pagarei'. 30Mas o empregado não quis saber disso. Saiu e mandou jogá-lo na prisão, até que pagasse o que devia. 31Vendo o que havia acontecido, os outros empregados ficaram muito tristes, procuraram o patrão e lhe contaram tudo. 32Então o patrão mandou chamá-lo e lhe disse: 'Empregado perverso, eu te perdoei toda a tua dívida, porque tu me suplicaste. 33Não devias tu também, ter compaixão do teu companheiro, como eu tive compaixão de ti?' 34O patrão indignou-se e mandou entregar aquele empregado aos torturadores, até que pagasse toda a sua dívida. 35É assim que o meu Pai que está nos céus fará convosco, se cada um não perdoar de coração ao seu irmão.'

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

segunda-feira, 20 de março de 2017

Projeto Caminhando com Jesus inicia suas atividades em 2017

Celebração comemorativa à São José na Comunidade de Atoleiros



São José, esposa da Virgem Maria - Segunda-feira 20/03/2017

Evangelho (Mt 1,16.18-21.24a)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.

Jacó gerou José, o esposo de Maria, da qual nasceu Jesus, que é chamado o Cristo. 18A origem de Jesus Cristo foi assim: Maria, sua mãe, estava prometida em casamento a José, e, antes de viverem juntos, ela ficou grávida pela ação do Espírito Santo. 19José, seu marido, era justo e, não querendo denunciá-la, resolveu abandonar Maria, em segredo. 20Enquanto José pensava nisso, eis que o anjo do Senhor apareceu-lhe, em sonho, e lhe disse: "José, Filho de Davi, não tenhas medo de receber Maria como tua esposa, porque ela concebeu pela ação do Espírito Santo. 21Ela dará à luz um filho, e tu lhe darás o nome de Jesus, pois ele vai salvar o seu povo dos seus pecados". 24aQuando acordou, José fez conforme o anjo do Senhor havia mandado.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

domingo, 19 de março de 2017

No Cristo Redentor, crianças refugiadas pedem paz na Síria


refugiados-cristo-redentor
Crianças refugiadas e artistas brasileiros participaram de ato pela paz no Cristo Redentor / Foto: UNIC Rio


Ato pela paz no Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, marcou os seis anos de guerra na Síria. Atualmente, o Brasil é o lar de 2,5 mil sírios oficializados

Da redação, com ONU Brasil
Cerca de 50 crianças refugiadas uniram suas vozes a de cantores e mais de 20 artistas brasileiros para pedir o fim da guerra na Síria, que completou seis anos nesta quarta-feira 15. Em apresentação no Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, um coral de meninos e meninas de 12 países encantou o público do ponto turístico, ao lado dos cantores Tiago Iorc, Maria Gadu e Elba Ramalho. O ato pela paz foi organizado pelo movimento “Amor Sem Fronteiras”.
“Devemos nos lembrar daqueles que mais sofrem por causa desta calamidade: os 4,9 milhões de refugiados, os 6,3 milhões de deslocados internos e outras milhões de pessoas dentro da Síria que vivem um medo diário por causa desta guerra e da desumanidade que ela tem criado”, afirmou a representante da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), Isabel Marquez, em pronunciamento durante a cerimônia.

Atualmente, o Brasil é o lar de 2,5 mil sírios já oficialmente reconhecidos como refugiados pelo governo. No país, vivem outros 25 mil indivíduos de diferentes nacionalidades que aguardam o processamento de seu pedido de asilo. Os dados são do Comitê Nacional para os Refugiados (CONARE).

Entre as crianças que se apresentaram na capital fluminense, estavam não apenas jovens sírios, mas também refugiados do Iêmen, Irã, Sudão do Sul, República Democrática do Congo e outros países em crise.

Com interpretações de “O Sol”, de Milton Nascimento, e “Aquarela”, de Toquinho, os cantores mirins alegraram a manhã de turistas e cariocas, mas também transmitiram uma mensagem de alerta: o medo de estrangeiros que fogem da guerra não leva a nada.

Refúgio no Brasil

O Brasil acolhe 9 mil pessoas que já tiveram o refúgio formalmente concedido pelas autoridades e mais de 20 mil estrangeiros que aguardam deliberação sobre seu pedido de asilo. Os números podem parecer significativos, mas são bem inferiores aos de países que também não estão próximos geograficamente de nações em crise.

Os Estados Unidos, por exemplo, possuía um robusto programa de reassentamento que trazia, anualmente, milhares de refugiados de países africanos e do Oriente Médio para recomeçar a vida no território norte-americano. Em 2016, a nação recebeu 85 mil refugiados.

Os meninos e meninas refugiados que participaram do ato fazem parte do Coral Coração Jolie, uma iniciativa da organização não governamental “I Know My Rights” (IKMR), parceira da agência das Nações Unidas.

Refugiada síria no Brasil sonha com a paz

“Só o Brasil abre as portas para a gente”. É a impressão de Asmaa Al-Syouf, refugiada da Síria que teve de deixar o país em 2012 por causa da guerra. Há quase três anos em terras brasileiras, ela chegou aqui com o marido e os três filhos. As crianças estavam entre os jovens do Coração Jolie.
“Os brasileiros não perguntam ‘por que vocês vieram para o meu país, por que vocês estão aqui?’, eles dizem ‘bem-vindos!’”, comentou a refugiada sobre a recepção calorosa que recebeu quando veio para o Brasil.

Asmaa conseguiu reconstruir a vida por aqui e abriu um restaurante de comida árabe com o marido, em Mogi das Cruzes. Seu sonho, porém, é voltar ao país onde nasceu e onde ainda vive parte da família. “Eu só quero que a Síria volte a ser o que era antes.”
 
Isabel Marquez elogiou as políticas do Brasil para acolher refugiados sírios. “Um projeto não muito conhecido, mas muito significativo e único e que há poucos países que fazem, é o programa de vistos humanitários. Desde 2013, 2,5 mil refugiados sírios chegaram (ao Brasil), portanto, salvaram suas vidas”, afirmou.

Segundo a representante nacional do ACNUR, governo e ONU planejam reassentar outros 3 mil sírios, incluindo crianças. As Nações Unidas, o Estado brasileiro e parceiros da sociedade civil estão avaliando qual seria a melhor maneira de trazer esses refugiados para o Brasil.

Fonte: Canção Nova

SANTO DO DIA - São José, protetor da Sagrada Família


São JoséHoje São José acolhe a Igreja, da qual é o patrono e grande intercessor de todos nós

Celebra-se hoje, 19 de março, a Solenidade de São José. Neste dia, a Igreja, espalhada pelo mundo todo, recorda solenemente a santidade de vida do seu patrono.

Esposo da Virgem Maria, modelo de pai e esposo, protetor da Sagrada Família, São José foi escolhido por Deus para ser o patrono de toda a Igreja de Cristo.

Seu nome, em hebraico, significa “Deus cumula de bens”.

No Evangelho de São Mateus vemos como foi dramático para esse grande homem de Deus acolher, misteriosa, dócil e obedientemente, a mais suprema das escolhas: ser pai adotivo de Nosso Senhor Jesus Cristo, o Messias, o Salvador do mundo.

“Quando acordou, José fez conforme o anjo do Senhor tinha mandado e acolheu sua esposa” (Mt 1,24).

O Verbo Divino quis viver em família. Hoje, deparamos com o testemunho de José, “Deus cumula de bens”; mas, para que este bem maior penetrasse na sua vida e história, ele precisou renunciar a si mesmo e, na fé, obedecer a Deus acolhendo a Virgem Maria.

Da mesma forma, hoje São José acolhe a Igreja, da qual é o patrono. E é grande intercessor de todos nós.

Que assim como ele, possamos ser dóceis à Palavra e à vontade do Senhor.

São José, rogai por nós!

3º Domingo da Quaresma - 19/03/2017

Anúncio do Evangelho (Jo 4,5-15.19b-26.39a.40-42)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor!

Naquele tempo, 5Jesus chegou a uma cidade da Samaria, chamada Sicar, perto do terreno que Jacó tinha dado ao seu filho José. 6Era aí que ficava o poço de Jacó. Cansado da viagem, Jesus sentou-se junto ao poço. Era por volta de meio-dia. 7Chegou uma mulher de Samaria para tirar água. Jesus lhe disse: “Dá-me de beber”.
8Os discípulos tinham ido à cidade para comprar alimentos. 9A mulher samaritana disse então a Jesus: “Como é que tu, sendo judeu, pedes de beber a mim, que sou uma mulher samaritana?” De fato, os judeus não se dão com os samaritanos.
10Respondeu-lhe Jesus: “Se tu conhecesses o dom de Deus e quem é que te pede: ‘Dá-me de beber’, tu mesma lhe pedirias a ele, e ele te daria água viva”.
11A mulher disse a Jesus: “Senhor, nem sequer tens balde e o poço é fundo. De onde vais tirar água viva? 12Por acaso, és maior que nosso pai Jacó, que nos deu o poço e que dele bebeu, como também seus filhos e seus animais?”
13Respondeu Jesus: “Todo aquele que bebe desta água terá sede de novo. 14Mas quem beber da água que eu lhe darei, esse nunca mais terá sede. E a água que eu lhe der se tornará nele uma fonte de água que jorra para a vida eterna”.
15A mulher disse a Jesus: “Senhor, dá-me dessa água, para que eu não tenha mais sede e nem tenha de vir aqui para tirá-la”. 19b“Senhor, vejo que és um profeta!” 20Os nossos pais adoraram neste monte, mas vós dizeis que em Jerusalém é que se deve adorar”.
21Disse-lhe Jesus: “Acredita-me, mulher: está chegando a hora em que nem neste monte, nem em Jerusalém adorareis o Pai. 22Vós adorais o que não conheceis. Nós adoramos o que conhecemos, pois a salvação vem dos judeus.
23Mas está chegando a hora, e é agora, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e verdade. De fato, estes são os adoradores que o Pai procura. 24Deus é espírito, e aqueles que o adoram devem adorá-lo em espírito e verdade”.
25A mulher disse a Jesus: “Sei que o Messias (que se chama Cristo) vai chegar. Quando ele vier, vai nos fazer conhecer todas as coisas”. 26Disse-lhe Jesus: “Sou eu, que estou falando contigo”.
39aMuitos samaritanos daquela cidade abraçaram a fé em Jesus. 40Por isso, os samaritanos vieram ao encontro de Jesus e pediram que permanecesse com eles. Jesus permaneceu aí dois dias. 41E muitos outros creram por causa da sua palavra. 42E disseram à mulher: “Já não cremos por causa das tuas palavras, pois nós mesmos ouvimos e sabemos que este é verdadeiramente o salvador do mundo”.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

sábado, 18 de março de 2017

A Quaresma e a Campanha da Fraternidade

 Foto: Portal Kairós

Vivemos um tempo especial na nossa caminhada de fé. Iniciamos há alguns dias a Quaresma no desejo de nos prepararmos para a Páscoa. Conforme Frei José Ariovaldo da Silva, “nós cristãos celebramos todo ano a festa da Páscoa: morte e ressurreição de Jesus e nossa. É a maior de todas as festas. A mais importante... Grande demais para ser preparada em três dias ou uma semana. Por isso, entendemos a sua preparação para quarenta dias”.

Conforme lembrou o profeta Joel na liturgia da Quarta-feira de Cinzas, Quaresma é um tempo oportuno para voltar nosso coração a Deus. Assim, é marcada por um apelo à penitência e à conversão. Por isso, nos é proposto exercícios espirituais, através dos quais essa conversão possa acontecer de modo que celebremos de maneira digna e solene a Páscoa do Senhor.

O texto-base da Campanha da Fraternidade 2017 nos diz que “o insistente apelo à penitência e conversão não se apresenta na dinâmica da ‘tristeza’, mas de uma ‘sóbria alegria’, alimentada pela esperança (...). Quaresma é tempo de conversão, por isso tempo de intensa alegria. Alegria, porque iniciamos nossa caminhada rumo a Páscoa do nosso Salvador Jesus. Se, por um lado, a recordação do sofrimento de Jesus com sua morte na cruz produz em nós uma dor, a Ressurreição nos traz a certeza da vitória e a Quaresma passa a ser um tempo de alegria, pois nos aproxima de Deus e dos irmãos”. Essa aproximação para com Deus e os irmãos certamente nos fará mais comprometidos e solidários com os que sofrem. Nesse sentido, o texto-base nos lembra também que “a Campanha da Fraternidade quer ajudar a construir uma cultura de fraternidade, apontando os princípios de justiça, denunciando ameaças e violações da dignidade e dos direitos, abrindo caminhos de solidariedade”. Desse modo, a Quaresma, enriquecida com a CF, representa um apelo à conversão pessoal e social.

Diante disso, podemos louvar a Deus por termos no Brasil a possibilidade de olhar com seriedade e profundidade tudo que esteja ligado à vida humana. É o que estamos fazendo nesse ano, pois o olhar, a partir da Palavra de Deus e do Magistério da Igreja, para os biomas brasileiros diz respeito ao cuidado com a vida. Há uma conexão profunda entre a vida humana com todo tipo de vida animal e vegetal. Assim, precisamos como Igreja nos posicionarmos e propormos alternativas frente à destruição desmedidas de tais biomas.

Segundo o Compêndio da Doutrina Social da Igreja, a natureza “é um dom oferecido pelo Criador à comunidade humana, confiado à inteligência e à responsabilidade moral do homem. Por isso, ele não comete um ato ilícito quando, respeitando a ordem, a beleza e a utilidade de cada ser vivente e da sua função no ecossistema, intervém modificando-lhe algumas características e propriedades. São deploráveis as intervenções do homem quando danificam os seres viventes ou o ambiente natural, ao passo que são louváveis quando se traduzem no seu melhoramento”. Portanto, conforme o lema da CF/2017, “cultivar e cuidar da criação” é nossa obrigação. 

Que o tempo quaresmal seja oportuno para que os sinais de morte em nosso meio, gerados pelo egoísmo, orgulho e autossuficiência, sejam superados e vencidos. Que a força do Ressuscitado transforme nossa vida e, através de nós, toda a realidade na qual vivemos.

Autor: Dom Aparecido Donizeti de Souza
Bispo auxiliar de Porto Alegre

FONTE: PORTAL CATÓLICO